Luz e gás: 6800 pessoas já pediram para pagar a prestações na Covid-19

6800 pedem para pagar luz e gás a prestações na Covid-19

Entre as medidas no sector da energia para mitigar os efeitos da pandemia destacam-se a possibilidade de pagar a luz e gás a prestações e a opção por reduzir a potência contratada. Agora a ERSE revelou quantos portugueses já aderiram a estas medidas e a Comparamais fez as contas ao seu impacto…

Com a economia estagnada e muitos portugueses em lay-off ou mesmo a ficar desempregados, foram tomadas diversas medidas no sector da energia para mitigar os efeitos da Covid-19. Entre o pacote de apoios aprovados destaca-se em primeiro lugar a proibição dos cortes de energia. Mas há mais duas medidas que visam reduzir os encargos mensais dos portugueses:

  • Pagamento da luz e gás a prestações: Os clientes em dificuldades económicas podem pedir o pagamento faseado da fatura de luz e gás, entre 6 e 12 prestações sem juros. Recorde-se que outros sectores também introduziram soluções para adiar prestações, como a moratória ao crédito criada pelos bancos;
  • Redução da potência: Para as empresas é possível pedir para reduzir a potência contratada. Isto permite baixar os gastos mensais em empresas que sofreram grande redução da atividade como, por exemplo, os restaurantes.

ERSE confirma 6800 pedidos para pagamento a prestações da luz e gás

No relatório final da ERSE ao impacto da crise surgem algumas informações importantes sobre o impacto das medidas tomadas. A começar, desde logo, pelos pedidos de pagamento a prestações das contas de energia.

Na eletricidade registam-se apenas 822 pedidos de fracionamento das faturas para diferentes CPE. No entanto, para o gás natural o valor é bastante superior, pois existem 5956 moradas (CUI) com pedidos para pagar os valores cobrados entre 6 e 12 meses sem juros.

Veja também: Como cancelar o contrato de eletricidade

Outra informação importante tem a ver com o período em que existiram mais pedidos para fracionamento, e que indicam claramente o mês em que a Covid-19 atingiu com mais força a economia portuguesa. Dos 6778 pedidos para luz e gás a prestações, foram realizados 4259 durante o mês de maio, altura em que os planos de contingência quase paralisaram a atividade económica.

Importante também nos dados da ERSE são os valores associados ao pagamento a prestações da luz e gás. Segundo a entidade que regula o sector, os pedidos de fracionamento representam um valor total de 618.000€, divididos entre 389.000€ de contas de gás a prestações e mais 229.000€ de luz a prestações.

Descubra aqui: Como fazer uma reclamação do fornecedor de energia

Como funciona o pagamento da luz e gás a prestações?

As regras para poder fazer o pagamento faseado da fatura são muito simples, tendo início ao entrar em contacto com o seu fornecedor de energia para fazer o pedido de flexibilidade do pagamento das faturas. Depois, e seguindo o que indica a Lei nº 7/2020 e posteriores atualizações, estas são as condições do pagamento a prestações:

  • As prestações não têm juros de mora;
  • Começa a pagar apenas no segundo mês após o fim do estado de emergência. Ou seja, como de momento ele decorre até 20 de setembro, começa a pagar em novembro;
  • As prestações têm um valor mínimo de 5€ e não podem exceder 25% do valor do consumo médio do cliente;
  • Por defeito o pagamento do luz e gás a prestações fica definido para doze meses. No entanto, pode acordar com o fornecedor um prazo menor;
  • Caso entre em incumprimento durante o pagamento das prestações, podem ser exigidos no imediato todos os valores ainda em falta.

Portugueses dão prioridade à redução da potência elétrica

Apenas foram realizados 822 pedidos para pagar a luz a prestações. No entanto, os registos sobre a redução da potência contratada foram muito mais expressivos.

Ao todo foram realizados 4321 pedidos para este ‘downsizing’, que se dividem entre diversos tipos de clientes. Mas foi nos clientes residenciais (Baixa Tensão Normal – BTN) e nas pequenas empresas e indústria (BTN, Baixa Tensão Especial – BTE e Média Tensão – MT) que se registaram mais pedidos.

Tensão Elétrica instaladaNúmero de Pedidos
Baixa Tensão Normal1965
Baixa Tensão Especial1369
Média Tensão967
Alta e Muito-Alta Tensão20

Fornecedores de eletricidade perdem 700.000€

A ERSE apresentou também os valores relativos às perdas de faturação com os pedidos de redução de potência. E neste caso será mesmo dinheiro perdido já que, ao contrário dos pedidos para luz e gás a prestações, a redução da potência implica mesmo pagar menos na fatura.

Segundo a ERSE, a redução de potência significa 701.000€ de faturação perdidos, uma vez que quanto menor a potência contratada mais baixo será o valor pago aos fornecedores.

Impacto total de 1,3 milhões de euros na energia

As contas finais ao impacto económico no sector energético das medidas de apoio aos clientes são fáceis de fazer. Ao todo são 1,3 milhões de euros que não são cobrados neste momento. No entanto, quando terminarem as medidas de restrição e ficarem concluídos os pagamentos da luz e gás a prestações, os fornecedores terão recuperado 618.000€ desse valor…

Quer saber como pode poupar ao máximo na luz e gás, poupando mais de 100€ por ano? Compare todos os preços e descubra a melhor tarifa para si no simulador de energia.