Inspeção do gás – Saiba todas as regras e quanto custa a inspeção

Descubra quanto custa e quando é feita a inspeção do gás

Essencial para garantir a segurança das canalizações e equipamentos, a inspeção de gás é um procedimento essencial. Veja agora quando tem de pedir a inspeção, quem a faz e quanto ela custa.

A manutenção em bom funcionamento da canalização do gás é um procedimento de segurança essencial em casa. E por isso é obrigatório fazer, em diferentes momentos, a inspeção do gás.

Efetuada apenas por empresas certificadas pela DGEG, a inspeção permite garantir que a canalização não tem fugas, que os equipamentos estão preparados para trabalhar sem problemas e também que tudo está certo com o contador.

Veja agora quem pode pedir a inspeção do gás, quando ela deve ser feita e quanto ela custa. E já sabe, descubra também quais os melhores preços de gás com o simulador de energia da Comparamais.

Quem pode fazer uma inspeção do gás?

A certificação das empresas habilitadas a inspecionar o gás é uma competência da DGEG. Este organismo define quais as EIG – Entidades Inspetoras de Gás, que podem emitir certificados de inspeção.

A lista completa das entidades inspetoras de gás certificadas pode ser encontrada no site da DGEG.

Pode, no entanto, pedir diretamente a inspeção do gás junto da empresa que lhe fornece o serviço. A EDP, Galp, Endesa e a Iberdrola são alguns dos comercializadores de energia que disponibilizam o serviço aos seus clientes.

Que tipo de inspeções existem no gás canalizado?

Existem três tipos de inspeção do gás natural:

  • Inicial – quando é feita a instalação da rede e/ou do contador;
  • Periódica – Efetua-se de 3 em 3 anos ou de 5 em 5 anos para determinados edifícios;
  • Extraordinária – Acontece quando existe uma fuga de gás, pretende mudar ou converter os equipamentos e outras alterações à instalação do gás

Inspeção Inicial

A primeira inspeção é exigida na instalação da rede, quando é construído o ramal de acesso. Caso ele já exista, apenas quando requer a instalação do gás em casa.

Mas também são exigidas quando faz alterações na sua instalação do gás, quando faz um novo contrato (criação de um novo CUI) e na conversão das instalações de casa.

Algumas empresas já não exigem a inspeção na mudança de comercializador de gás. Ou seja, se quiser trocar o gás basta uma declaração a confirmar que não existem alterações em relação à ultima inspeção realizada.

Caso pretenda esse documento, obtenha aqui o exemplo de um formulário de conformidade de ligação do gás natural.

Inspeções periódicas

Existem, também, as inspeções períódicas do gás. Elas são exigidas com os prazos seguintes:

  • 5 em 5 anos para edifícios particulares em que a instalação de gás tenha mais de 20 anos e não tenha sido efetuado, entretanto, qualquer trabalho de renovação;
  • 3 em 3 anos quando se trata de espaços de utilização pública (escolas, hospitais, etc) ou edifícios particulares com capacidade para mais de 250 pessoas

Inspeções extraordinárias

Caso seja detetada uma fuga de gás é obrigatório, por motivos de segurança, inspecionar a instalação. Apenas dessa forma se pode encontrar a origem do problema e indicar as medidas corretas para o corrigir.

Caso decida converter os seus equipamentos e canalizações para gás natural, se deseja alterar a própria rede interna de gás e ainda em outras intervenções relevantes na estrutura deve também pedir uma inspeção extraordinária do gás.

Quanto custa a inspeção do gás?

O valor depende sempre da entidade que escolher e do motivo e urgência da mesma. Mas as inspeções periódicas custam, normalmente, entre 50€ e 60€.

O que é preciso para a inspeção do gás?

No dia em que é feita a instalação do gás tem de garantir que:

  • O fornecimento de água e eletricidade estão garantidos;
  • Os aparelhos estão preparados para ser testados;
  • O exaustor está a funcionar e é capaz de extrair os fumos e gases;
  • A caldeira ou esquentador estão instalados. Preferencialmente devem estar presentes os técnicos responsáveis pela instalação, para fazerem o teste do monóxido de carbono

O que acontece se a inspeção do gás não for aprovada?

Podem ser detetados dois tipos de anomalias numa inspeção, que alertam para falhas na segurança da instalação do gás. Caso sejam detetados defeitos críticos fica imediatamente cortado o fornecimento.

Mas se tiver defeitos não-críticos fica com um prazo de três meses para os resolver e requerer nova inspeção. Durante esse período, se já existir uma instalação do gás, continua a ser garantido o abastecimento.

Se não fizer a inspeção, o que me acontece?

Caso se esqueça de fazer a inspeção, irá ser “convidado” por carta pela DGEG para retificar este lapso. Terá depois três meses para fazer a inspeção do gás. Passado este período será feito o corte do serviço.

Existe ainda outra questão. A ASAE recorda que uma das suas atribuições é verificar que as inspeções do gás estão feitas. E neste caso, os espaços onde ela não esteja feita podem ser multados entre 249€ e 14963€, com multas até 3740€ para particulares.

Lembre-se que, caso pretenda mudar de fornecedor pode não ser precisa uma nova inspeção do gás. Por isso, aproveite e descubra com o simulador de energia da Comparamais quais os melhores preços e peça ajuda à nossa equipa para ter o processo de mudança de fornecedor mais simples e rápido.