Taxa de esforço: O que é e como calcular

Saiba como calcular a sua taxa de esforço

A taxa de esforço é essencial na aprovação do crédito, já que assegura a capacidade do cliente pagar as prestações mensais. Saiba agora como se calcula e o seu impacto nos pedidos de crédito pessoal e crédito habitação.

Quando vai pedir um crédito pessoal, um crédito habitação ou até mesmo fazer um cartão de crédito, é normal que seja analisada a capacidade para pagar as mensalidades do empréstimo. Para isso é utilizada a taxa de esforço, que depois é essencial para a aprovação do seu pedido.

A taxa de esforço vai influenciar a aprovação, mas também os juros que lhe são aplicados. Afinal, este indicador ajuda também a prever o risco do cliente entrar em incumprimento. Veja agora tudo o que precisa saber e como calcular a taxa de esforço.

O que é a taxa de esforço?

A taxa de esforço indica que percentagem do seu salário está destinada ao pagamento de prestações de crédito. Isto significa que todos os encargos com crédito pessoal, com crédito habitação, com o crédito automóvel, com os cartões de crédito e outros empréstimos são contabilizados.

Isto significa que a taxa de esforço indica o peso dos créditos no seu orçamento mensal. Como vai continuar a ter de pagar eletricidade e gás, água, a internet e tv e fazer compras e ter outras despesas, há limites de esforço mensal com créditos que não deve ultrapassar.

Como calcular a taxa de esforço?

A conta é simples. E pode fazê-la em menos de 30 segundos na calculadora do smartphone. 

Comece por somar o valor de todas as prestações de crédito que tem mensalmente. Depois multiplique o total de encargos de crédito por 100 e divida pelo valor do seu salário líquido (o salário que recebe na conta). Rápido e simples.

Aqui ficam dois exemplos:

Se ganhar 1000€  líquidos e tiver de pagar 200€ em créditos mensalmente, terá uma taxa de esforço de 20%.

Se receber 1250€ mas pagar 450€ de prestações mensais, a sua taxa está nos 36%.

Qual o valor máximo da taxa de esforço?

As recomendações do Banco de Portugal apontam para que a taxa de esforço dos clientes não supere os 35%. Ou seja, não deve gastar mais do que ⅓ do seu salário com prestações de crédito.

No entanto, existe margem de manobra para negociar. Por exemplo, para os pedidos de crédito habitação existe alguma liberdade para chegar a valores próximos dos 40%.

E qual o valor ideal?

O valor ideal será sempre 0%, já que significa que não tem nenhum empréstimo de momento. Olhando para quem recorre a crédito pessoal, habitação ou automóvel, como acontece com grande parte da população, basta não superar os limites que o Banco de Portugal indica para estar numa situação financeira saudável.

O que posso fazer para baixar a taxa de esforço?

Se tiver muitos encargos, o crédito consolidado é uma boa solução, mesmo que continue acima dos 35% da taxa de esforço. Imagine, por exemplo, que tem três créditos pessoais no mesmo banco, e não consegue pagar as prestações.

Neste caso, mesmo que o pedido de crédito consolidado supere os 35%, se existir uma redução importante nos seus encargos e o banco aumentar a probabilidade de receber de volta o dinheiro que já lhe emprestou, a hipótese de aprovação será superior.

A taxa de esforço e o endividamento são a mesma coisa?

As duas são indicadores importantes para avaliar a sua saúde financeira, mas são coisas distintas. O endividamento tem em conta o valor das dívidas em comparação ao seu património, incluindo casas, terrenos e outros imóveis. 

a taxa de esforço analisa o seu rendimento mensal disponível, avaliando se aquilo que recebe é suficiente para pagar os seus encargos. 

Por exemplo, até pode ter muitos terrenos e outros capitais, mas se eles não lhe derem dinheiro mensalmente e a taxa já está nos 40% , terá mais dificuldade em obter um crédito pessoal. Isto porque, mesmo tendo muito património em imóveis, não recebe dinheiro suficiente todos os meses para pagar o empréstimo.

Tabelas relativas ao grau de endividamento mensal das famílias

Depois de calcular a sua taxa de esforço, veja se ela é elevada, muito elevada, ideal ou ideal. Veja na seguinte tabela:

Taxa de esforçoEstadoRecomendações
> 40%Muito elevadaDeve pedir crédito consolidado
= 40%ElevadaDeve pedir crédito consolidado
> 30 % e < 40%IdealPode pedir crédito pessoal
ou crédito habitação
=<30%Ideal máximaPode pedir crédito pessoal ou crédito habitação

Dessa forma, avalie bem a sua situação e fale com o seu banco. No caso da sua taxa de esforço ser elevada pode optar por um crédito consolidado, já que ela é a solução ideal para pagar dívidas. Dessa forma vai liquidar alguns créditos ou cartões de crédito que tenha e juntar tudo em apenas uma prestação com prestação e juros mais baixos. Dessa forma terá maior possibilidade de ver o seu crédito pessoal, crédito habitação ou crédito automóvel aprovado.