Guia: Como escolher o fornecedor eletricidade

Com o início de um novo ano, são várias as alterações em termos de preços. E a fatura da luz não escapou. Após a subida do ano passado, este ano, com o novo Orçamento de Estado, os preços da eletricidade registam a maior descida em 20 anos: 3,5% abrangendo os consumidores do mercado regulado. Em euros a fatura vai diminuir 1,50 euros por mês. Os fornecedores do mercado liberalizado também vão descer os preços com descontos que chegam aos 6,3%. 

fatura da luz comparamais


© Burak K

Dessa forma, tem de pensar se está na hora de mudar de fornecedor, regressar ao mercado regulado ou manter-se como está? 

Para fazer uma simulação exata do seu consumo, tem de ter em conta que existem três tipos de consumo – horário simples, bi-horário e tri-horário, bem como, a referência imposta pelo regulador relativamente à poupança média na revisão das tarifas de eletricidade para este ano. Já de seguida irá verificar, que nos diferentes tipos de consumo, o tarifário mais barato é praticado por um operador diferente em cada um dos horários. 

No horário simples e o bi-horário os preços ficam mais em conta com os comercializados do mercado liberalizado. No tri-horário,  mercado regulado é melhor que a concorrência.

Tarifa simples

Na tarifa simples não se verifica uma disparidade dos preços entre as horas e o consumo de luz. A Iberdrola é a que tem a fatura mais baixa.  O “Plano casa Iberdrola” tem um custo de 492,39 euros por ano. Por mês,  o total da fatura ronda os 41 euros. 

O plano de energia da Iberdrola acaba por ser ainda mais barato, cerca de 48,5 euros, do que se tiver tarifa regulada. 

Se quiser optar pelo mercado regulado, apesar da redução 3,5% nos preços de acordo com o novo OE, irá ter um custo anual a rondar os 530,86 euros. De seguida poderá ver uma comparação com outros fornecedores:

  1. Iberdrola: 492, 39 euros
  2. Gold Energy: fatura anual de 511, 69 euros
  3. YLCE: 526, 64 euros
  4. EDP: 526, 98 euros
  5. PT Live: 528, 98 euros

Este ranking mostra-lhe os 5 fornecedores mais em conta. No caso da tarifa simples praticada pela EDP Comercial, pagaria anualmente um total de 526, 98 euros, incluindo-se assim no ranking das tarifas de energia mais em conta, sendo o quarto fornecedor mais barato. Contrariamente, o tarifário “Monoelétrico + Cliente” da Gold Energy, é o segundo fornecedor mais em conta, com uma fatura anual de 511,69 euros.

Tarifa bi-horária

  1. Gold Energy (Monoelétrico + cliente): 504, 46 euros
  2. YLCE (Enforcesco_YLCE): 518, 93 euros
  3. PT Live (Plano PT Live casa): 523, 63 euros
  4. Mercado regulado: 524, 86 euros
  5. Alfa (Tarifa Alfa Mais): 529,79 euros
  6. Endesa (Tarifa e-luz): 545,81 euros

No ranking da tarifa bi-horária disponibilizamos os 6 fornecedores mais em conta. De entre os fornecedores apresentados, a Gold Energy, é a que tem a proposta mais económica para um consumo bi-horário, tendo em conta uma simulação que incluiu um consumo em vazio de 40% do total. Se optar pelo plano de electricidade “Monoelétrico + Cliente” irá pagar uma fatura anual 504,46 euros, um valor inferior, ao da tarifa simples. A YLCE, marca low-cost de comercialização da luz da Enforcesco, tem o segundo tarifário de consumo bi-horário mais económico. Ficaria a pagar uma fatura anual de 518,93 euros.

Qualquer dos tarifários do mercado liberalizado que aqui apresentámos é mais em conta em comparação com a tarifa do mercado regulado. Nesta pesquisa,  o mercado regulado surge em quarto lugar, com um custo anual de 19 euros face à solução bi-horária da Gold Energy. A EDP Comercial, nesta franja de consumo, não surge entre as propostas mais baratas.

Tri-horária 

  1. Mercado regulado: 539, 20 euros
  2. PT Live (PT Live Casa): 593, 72 euros
  3. EDP eletricidade: 597, 09 euros
  4. Alfa mais: 598, 22 euros
  5. Energia Simples (Plano Base Online): 608,09 euros 
  6. jafPlus (Plano Plus): 617,50 euros

Para quem necessita de mais consumo de eletricidade, pode optar pela tarifa tri-horária, e aí o cenário muda radicalmente.

Regressar ao mercado regulado compensa sempre, no caso do consumo tri-horário. Por exemplo, 40% do consumo de eletricidade no período vazio e os restantes 60% repartidos por igual nos restantes dois horários (horas de ponta e cheias), a fatura anual no mercado regulado ficaria em 539 euros. Este valor é muito mais barato do que qualquer das outras propostas do mercado liberalizado como pode ver no ranking que disponibilizámos acima. 

Em termos de poupança, ficará a poupar cerca de 54,5 euros anuais se optar pelo mercado regulado no tarifário tri-horário. Por exemplo, o “Plano PT Live Casa” do fornecedor ptLive tem uma fatura anual a rondar os 593,72 euros. Uma opção um pouco mais cara do que apresentada anteriormente, é a da EDP Comercial que tem o segundo tarifário tri-horário mais barato do mercado liberalizado e que implica o pagamento de uma fatura anual de 597,09 euros.

Aspectos a ter em conta para contratar a melhor companhia de energia e poupar na fatura da luz

  1. Atendimento ao cliente: uma das coisas que deve ter atenção na hora de escolher por exemplo uma EDP de uma Gold Energy é o serviço de alta qualidade do atendimento. É importante, no caso de ter algum problema, que este seja resolvido facilmente. E por exemplo, pode ser a uma mudança de potência ou alteração da titularidade, este tipo de serviços devem ser tramitados sem complicações e de forma rápida. 
  2. Tarifas da luz: quando quiser ter a certeza que contratou a tarifa mais barata de acordo com a potência contratada de que necessita, o melhor é comparar. Através do simulador de custos de luz e gás da comparamais, pode fazer a sua simulação e optar pelo mercado liberalizado, tendo em conta as tarifas anuais dos diversos fornecedores, ou optar pelo mercado regulado, tendo em conta os seus consumos de luz. 
  3. Serviços de manutenção adicionais: instalação elétrica e de gás, manutenção do equipamento são serviços que em alguns pacotes não estão incluídos e em outros sim. No caso de não estar incluído, irá representar um custo extra ao final do mês e uma fidelização de 12 ou 24 meses. 

Como achar o fornecedor mais barato?

A melhor forma de encontrar o fornecedor de eletricidade mais barato é fazer uma comparação entre os pacotes existentes. Para isso precisa de utilizar um comparador de forma a reunir os fornecedores com os melhores preços, tendo em conta a tarifa que escolher.

Veja também: Os preços que vão mudar em 2019