Se está a pensar arrendar ou comprar casa e já começou a procurar, saiba que poderá fazer essa pesquisa junto de algumas instituições financeiras. Os imóveis da banca podem oferecer-lhe spreads mais baixos e financiamentos completos. De seguida veja os passos a seguir para comprar um imóvel da banca. Explicamos-lhe tudo.

Os bancos têm imóveis para comprar e arrendar e as condições podem ser mais vantajosas do que a compra convencional através de uma imobiliária ou particular. Em Portugal, os bancos como o BPI, o Montepio, Caixa Geral de Depósitos e Novo Banco, têm imóveis para arrendamento e compra, sendo muitos deles parte da garantia de um crédito à habitação. Estas casas podem ser encontradas no site imobiliário dos bancos ou até em leilões organizados pelas próprias entidades.

Sendo que há muita oferta, o primeiro passo é compará-las no mercado português e escolher a que for mais vantajosa para o seu caso. Se está a pensar recorrer ao crédito à habitação, analise todas as condições associadas, tais como as comissões, taxas de juro e seguros.

Comprar imóveis da banca traz mais vantagens?

Se comprar uma casa em leilão é provável que consiga um preço bastante mais reduzido, mas não é totalmente garantido que consiga ganhar a licitação. Se comprar diretamente ao banco poderá ter vantagens no financiamento que pode chegar aos 100%. Igualmente, se recorrer ao crédito à habitação com o mesmo banco, poderá ter taxas exclusivas para si, consoante o que pretende.

Entre as vantagens possíveis, poderá encontrar comissão de entrada gratuita, um período de carência capital ou ainda um prazo de pagamento mais extenso.

Tal como em qualquer compra de habitação, é necessário considerar alguns fatores. No momento da compra deve ter algumas precauções, tais como comparar as várias ofertas, ver qual é a mais adequada para si, e visitar sempre o imóvel antes de tomar qualquer decisão.

Percorra estes passos para ter a certeza que está a tomar a decisão certa:

1. Avalie, será melhor comprar ou arrendar?

Comprar uma casa é sempre um compromisso e, se não está a pensar permanecer na habitação por muito mais, talvez seja melhor optar por arrendar.

2. Ajuste o crédito habitação às suas condições económicas 

Antes de avançar para a compra (ou arrendamento) de uma casa, verifique as suas possibilidades económicas e ajuste-as ao seu orçamento. Calcule a taxa de esforço, que idealmente não deverá ultrapassar um terço do seu rendimento mensal.

3. Compare ofertas

Não tome uma decisão definitiva sem ter a certeza que verificou todas as ofertas. Pode encontrar uma casa a um preço mais acessível para a sua carteira e um banco que ofereça outras condições mais vantajosas. Quanto mais informado estiver, menos problemas terá no futuro.  

4. Não se esqueça dos gastos extra

A compra de uma casa tem sempre custos extra associados, além dos que estão incluídos no crédito à habitação que pedir ao seu banco. No crédito à habitação, informe-se sobre todas as comissões, spreads e taxas de juro aplicadas.

Além das taxas do crédito à habitação, quando compra uma casa é obrigatório fazer um seguro de vida e um seguro multirriscos-habitação. Sem esquecer os impostos: o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e o IMT (Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas). Estes dados estarão todos descritos na Caderneta Predial, à qual poderá aceder depois de fazer o registo predial. Explicamos-lhe para que serve a Caderneta Predial e como pode adquiri-la.

A compra de uma casa tem sempre custos extra associados, além dos que estão incluídos no crédito à habitação que pedir ao seu banco. Terá de fazer um seguro de vida e um seguro multirriscos-habitação, que são passos obrigatórios para quem contrata um crédito à habitação. Sem esquecer os impostos: o IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) e o IMT (Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas). Estes dados estarão todos descritos na Caderneta Predial, à qual poderá aceder depois de fazer o registo predial.

Crédito para comprar casa continua a liderar

Em 2018, os bancos portugueses desembolsaram quase 10 mil milhões de euros para a compra de imóveis, batendo assim o recorde dos últimos oito anos. Segundo o Jornal de Negócios, os bancos emprestaram 27 milhões de euros por dia para comprar casa.

No último mês do ano passado, os bancos emprestaram 903 milhões de euros para a compra de casa, um número que supera os 822 milhões de euros concedidos em novembro. Este valor representa um aumento de 19,1% no espaço de um ano.

Segundo o Banco de Portugal, os pedidos de crédito para comprar casa continuam a liderar o tipo de empréstimos requisitados aos bancos portugueses.

LEIA AINDA: Crédito: tenha cuidado com os empréstimos particulares