Pedir um crédito pessoal é das situações mais recorrentes de hoje em dia. Os portugueses cada vez mais contraem empréstimos para as mais variadas situações. 

Entre crédito à habitação e ao consumo, o stock de crédito subiu 133 milhões de euros no mês passado para mais de 124 mil milhões de euros. Em março, o stock de crédito às famílias tinha crescido 157 milhões. Este aumento deve-se sobretudo ao financiamento para o consumo. A quantidade de empréstimos neste sector subiu para 144 milhões de euros. Atualmente, os bancos portugueses têm um total de 25,9 mil milhões de euros concedidos em crédito ao consumo.

Os cuidados que devemos ter quando pedimos um empréstimo

Se nunca pediu nenhum empréstimo, saiba que deve ter alguns cuidados:

  1. Compare todos os créditos pessoais dos vários bancos, faça várias simulações e opte pelo melhor plano;
  2. Se não compreender as simulações, peça ajuda: informe-se junto de profissionais como advogados e contabilistas. As associações em defesa do consumidor também podem ajudá-lo;
  3. Os juros podem vir a subir: a maior parte dos bancos cobra uma taxa de juro variável ou uma taxa fixa. No caso da taxa variável, os bancos são obrigados a dar três simulações do que pode ser a sua prestação mensal: com um valor atual da taxa de juro, com um aumento de um ponto percentual e com o aumento de dois pontos percentuais. Quando pede o empréstimo, é importante que consiga pagá-lo mesmo com este aumento dos juros na sua prestação. No caso da taxa de juro fixa mantém-se a mesma até terminar o empréstimo. Veja qual a melhor alternativa para si;
  4. Faça um orçamento familiar: tome nota das principais despesas da sua família e deixe sempre uma margem no caso de acontecer algum imprevisto. Assim conseguirá perceber até que valor é que pode pagar a sua prestação mensal.

Os vários tipos de crédito

  • Crédito Pessoal: este é o tipo de crédito que não precisa de ter uma finalidade, pode utilizar para vários projetos pessoais. Pode utilizar para viajar, pagar algumas dívidas, fazer um investimento, entre outros exemplos. Por norma os montes dos créditos pessoais pode situar-se num montante mínimo de 250 euros até a um máximo de 50.000 euros;
  • Crédito Formação: este crédito destinam-se a todas as pessoas que queiram voltar a estudar na Universidade, formações, entre outros. Os créditos podem situar-se entre os 1.000 euros até ao máximo de 25.000 euros. Pode pagar em vários prazos, no mínimo de 1 ano até ao máximo de 5 anos. As taxas de juro, por norma, são fixas. Para além das propinas, pode incluir estadias fora da sua zona de residência e alimentação;
  • Crédito Automóvel: este é um dos créditos mais procurados no mercado. Neste tipo de créditos, não tem muita dificuldade em conseguir um financiamento de 100% do montante que precisa;
  • Crédito Habitação: hoje em dia as percentagens dos financiamentos podem atingir os 70% e não mais os 100%. As taxas de juro são obtidas através da soma da Euribor a 3 meses, 6 ou 12. E um spread que varia de banco para banco. O spread tem sempre em conta o perfil e o grau de risco de cada cliente; 
  • Crédito ao Negócio: é um crédito que se destina apoiar as empresas e os negócios. Pode fazer este tipo de crédito tanto no seu banco como através de fundos comunitários;
  • Crédito Consolidado: é um crédito que se distingue daqueles que todos aqui falámos neste artigo, em termos de classificação, visto que não tem um fim específico. Este tipo de créditos destina em agregar todos os créditos num só, de forma a pagar uma prestação única, tendo vários créditos agregados a essa prestação. 

A reter:

Não faça um crédito pessoal, sem estar consciente de que realmente tem capacidade para o pagar. Informe-se e compare sempre os diferentes produtos. Não opte só pelo financiamento do seu banco. Se não comparar pode estar a perder uma oportunidade para poupar. Utilize o nosso comparador de crédito pessoal para fazer a sua comparação e tomar a melhor decisão para si.

Receba as nossas dicas de poupança & promoções

Quer estar atualizado com as últimas novidades e promoções do mundo financeiro? Subscreva a nossa newsletter!