Phishing - Veja como funciona esta fraude e como se proteger

Válter Correia

O pharming é uma das fraudes com roubo de dados bancários, dados de cartões de crédito e dados pessoais mais difícil de reconhecer. Este crime informático funciona através de programas que monitorizam os seus dados ou o enviam para páginas fraudulentas, sendo necessário usar diversos cuidados na navegação online e mecanismos de proteção para não sofrer o pharming. Veja os dois principais tipos de pharming que existem e de que forma se pode proteger destes ataques e roubo de dados dos cartões de créditos.

Se foi vítima de pharming saiba quais os prejuízos desta situação e como deve agir para remediar este problema. Saiba também se os bancos ou seguros dos cartões de crédito o recompensam quando sofre um ataque por pharming.

O que é o pharming?

O pharming é a instalação de programas ilegais no seu computador que monitorizam as suas atividades online e roubam os seus dados pessoais, dados bancários e senhas de acesso a websites. Ele é feito de forma oculta e as pessoas não sabem que estão a ser alvo de um crime informático, porque os programas ficam instalados no computador sem que os utilizador saiba.

Como é feito o pharming?

O pharming é feito com a instalação de programas no seu computador, que podem ser inseridos de forma oculta ou deliberada. Depois de ter sido feita a instalação destes programas eles podem roubar os dados diretamente do seu computador ou, com o envenenamento de DNS, enviá-lo para páginas que replicam os sites oficiais para você inserir os seus dados.

Uma das formas mais comuns de fazer pharming é com programas chamados de Trojan, o que é traduzido para Cavalo de Tróia. E, como acontece nesta história da mitologia grega, o Cavalo de Tróia está alojado “dentro das muralhas” do seu computador e é uma ameaça à sua segurança, verificando o que faz e enviando essas informações para o exterior.

Quais os perigos do pharming?

Os perigos do pharming são a apropriação de todos os seus dados pessoais, documentos no seu computador e dados bancários que depois são utilizados para atividades criminosas, como roubo de dinheiro. Como ó pharming é um programa que está dentro do seu computador ele pode ter acesso a tudo o que está instalado (documentos, fotos e outros ficheiros) e também gravar todos os dados que coloca em sites quando acede à internet.

Quais as consequências do pharming?

As consequências do pharming são roubo de dinheiro, roubo de dados e documentos pessoais e apropriação da sua identidade e das suas páginas em redes sociais.

Além das perdas financeiras diretas, outro risco do pharming é a extorsão, método utilizado para o convencer a pagar para recuperar os seus dados ou acessos e para a remoção dos programas maliciosos que estão instalados no seu computador.

Qual a diferença entre o pharming e o phishing?

A diferença entre o pharming e o phishing é que o primeiro é feito de forma escondida, enquanto o segundo requer uma colaboração direta do utilizador. No pharming os programas estão instalados e roubam os dados de forma clandestina e sem que o utilizador esteja consciente da situação, enquanto o phishing precisa de uma acção do utilizador, que de forma deliberada acede a páginas onde partilha os seus dados com os criminosos.

Como identificar as fraudes por pharming?

Para identificar as fraudes por pharming utilize programas que verificam todos os programas que instala no computador e analisam todos os sofwares que estão ativos no seu computador. Além disso, pode identificar o pharming quando surgem pedidos de instalação de programas que não pediu no seu computador.

Como prevenir fraudes por pharming?

Para prevenir fraudes por pharming deve ter instalados os programas de proteção do computador e dos browsers de internet, nunca desativar a sua firewall e também utilizar sistemas de autenticação dupla para acesso aos sites e confirmação de atividades como pagamentos por cartão de crédito.

Para se proteger do pharming também deve retroceder ou fechar as páginas de internet quando é reencaminhado para sites que replicam imagens e a marca de empresas oficiais e que procuram instalar programas no seu computador. E feche também páginas sem o endereço https, tem certificados de segurança e sem o cadeado verde à esquerda do link de acesso. Por fim, nunca autorize transferências de ficheiros ou permissões de acesso quando é reencaminhado para sites que desconhece.

Que medidas de proteção devo usar contra o pharming?

As medidas de proteção que deve usar contra o pharming são os antivirus e programas de remoção de softwares maliciosos no seu computador. Deve também usar uma firewall e programas de bloqueio de pop-ups e contra spyware e malware nos seus browsers de internet. Estes softwares de proteção evitam a instalação e fazem a remoção de programas maliciosos e que são usados para pharming.

Como denunciar fraudes por pharming?

Não existe forma direta de denunciar o pharming, porque ele é feito através de programas de que o utilizador desconhece. As únicas formas de alertar para o pharming são através da comunicação sobre as páginas para onde é encaminhado depois do envenenamento do DNS (onde coloca dados de identificação e o CVC do cartão de crédito) e com a instalação dos programas de proteção do computador.

Estes programas de proteção reconhecem as ameaças que, ao serem eliminadas do seu computador, serão incluídas pelos responsáveis dos programas num diretório de ameaças para serem também removidas dos dispositivos de outros utilizadores.

O que fazer se fui vítima de pharming?

Se foi vítima de pharming para fraude bancária deve pedir imediatamente o cancelamento do cartão de crédito e outros sistemas de pagamento. Depois instale e corra um antivirus e programas de remoção de malware do seu computador para, quando o computador está limpo dessas ameaças (e é importante que seja só depois desta limpeza) modifique as suas palavras-chave e outros dados de acesso à internet.

Os bancos devolvem o dinheiro perdido nas fraudes por pharming?

Sim, os bancos não devolvem dinheiro perdido nas fraudes por pharming. Segundo indica o Banco de Portugal, "se forem realizadas operações de pagamento não autorizadas antes da comunicação ao emitente do cartão, em princípio, terá de pagar os montantes indevidamente movimentados até um máximo de 50 euros".

Se sofrer um ataque por pharming informe o banco para cancelar os cartões de crédito e acessos ao homebanking e faça queixa às autoridades (PSP, GNR, Polícia Judiciária ou Ministério Público). Se não apresentar queixa ou se ficar provado que agiu de forma fraudulenta ou com negligência grosseira é obrigado a pagar todos os valores utilizados dos seus cartões de débito ou crédito e da conta bancária.

Os seguros dos cartões de crédito protegem contra o pharming?

Sim, os seguros dos cartões de crédito protegem contra o pharming se for considerado que existiu uma falsificação do cartão, porque estas perdas financeiras não são causadas de forma inadvertida pelos clientes, como acontece quando os dados são dados em fraude por telefone e nas fraudes por whatsapp e sms. Esta cobertura funciona nas 24h antes e depois de alertar as autoridades e o banco e é obrigado a apresentar queixa deste crime num prazo máximo de sete dias.

Descubra agora o melhor cartão

Simular