Crédito Pessoal

Melhores ofertas de empréstimo pessoal

Revisão do Produto

Crédito pessoal – como obter em Portugal

Um crédito pessoal pode ser uma solução caso se encontre numa situação de necessidade de uma quantia monetária a curto prazo. Em situações urgentes e inesperadas, solicitar um empréstimo bancário e a sua posterior aprovação podem facilitar a sua vida, sabendo que poderá liquidar a sua dívida através de pequenas mensalidades, de acordo com o montante que pediu e com o número de meses que acordou com o banco.

Assim sendo, e apesar de muitas pessoas considerarem desaconselhável a obtenção de crédito pessoal em Portugal, realizado de forma responsável, pode ser bastante útil, quando existe essa necessidade. Em outras situações, neste caso ponderadas, pode também haver lugar ao pedido de um crédito pessoal, como por exemplo, para a aquisição de um automóvel, de mobiliário para a sua casa, para o pagamento de uma festa, como um casamento, em que é habitualmente necessário proceder ao pagamento de imediato no local da cerimónia.

No entanto, é indispensável que, ao pedir créditos pessoais tenha em atenção ao montante que conseguirá pagar por mês, lembre-se de que muito provavelmente não é a única despesa que terá, portanto é essencial ponderar muito bem toda a situação. Trata-se de uma situação rápida, que o ajuda a resolver determinados problemas financeiros, no entanto, estão associados juros e caso falhar algum pagamento, haverá lugar a penalidades que muitas vezes são de custo elevado.

O que é o crédito pessoal

Por crédito pessoal, entende-se um empréstimo a curto prazo, cujo período de reembolso é relativamente curto comparativamente, por exemplo, ao das hipotecas. Normalmente o pagamento de um crédito pessoal em Portugal é de cerca de 10 anos, ou seja, 120 meses, sendo variável de acordo com a instituição bancária e com o valor a pedir no crédito pessoal.

Os bancos possuem duas categorias de crédito pessoal em Portugal: o crédito afeto e o crédito não afeto ou pessoal.

Crédito afeto significa que o crédito pessoal atribuído se destina ao pagamento de um produto ou serviço específico, pré-definido. Estão aqui incluídos o crédito automóvel, para aquisição de uma viatura, o crédito para o lar (para a aquisição de eletrodomésticos ou mobiliário para a casa), sendo necessário que seja identificado no contrato a categoria do crédito, bem como o produto ou serviço que está a ser financiado.

Por seu lado, o crédito não afeto refere-se ao crédito atribuído sem que tenha sido indicada uma finalidade. Este tipo é vulgarmente denominado de crédito pessoal, não sendo necessária a apresentação de quaisquer faturas ou outro comprovativo de pagamento, nem terá que indicar para que objetivos necessita do empréstimo em questão.

 

Como é que caracterizamos o crédito pessoal em Portugal?

O crédito pessoal em Portugal é bastante utilizado, inclusivamente em anos anteriores muitas famílias se endividaram devido à falta de cuidado na comparação e escolha do melhor crédito pessoal, bem como em não fazerem créditos em cima de créditos, para pagarem os anteriores.

Atualmente, o crédito pessoal em Portugal é visto como um auxílio para completar o rendimento mensal, no entanto, como já foi dito anteriormente, terá que ter um comportamento responsável e não pedir um crédito pessoal superior ao que pode pagar por mês. Hoje em dia os bancos já se preocupam em analisar o perfil e o histórico dos seus clientes, orientando-os muitas vezes na escolha do crédito pessoal melhor para cada um, sendo importante na maior parte das vezes conseguir créditos pessoais com aprovação rápida.

Em Portugal pedir um crédito pessoal é mais fácil, dado que pode ser feito online, por telefone ou pessoalmente numa sucursal do banco. Trata-se de um processo rápido de obtenção do montante que necessita para determinada finalidade.

No nosso país, o crédito ao consumidor abrange este tipo de crédito pessoal, existindo um conjunto de normas que os bancos têm de seguir no momento da sua atribuição, nomeadamente o valor da taxa de juros máxima, não podendo a TAEG (taxa anual de encargos efetivos globais) ser superior ao valor atual fixado pelo Banco de Portugal.

No caso do crédito afeto, deve ser sempre indicada qual a finalidade deste tipo de crédito pessoal, dado que os encargos são diferentes, no caso de financiamento de cursos/ensino, de despesas inerentes à saúde ou de aquisição de equipamento relativo à produção de energias renováveis, as taxas são mais reduzidas do que em outras situações de crédito pessoal em Portugal. Não indicando a finalidade do crédito, este será considerado não afeto e as taxas serão mais elevadas.

Crédito pessoal garantido vs. não garantido

Como crédito pessoal garantido entende-se um empréstimo em que os mutuários têm um tipo de garantia pessoal, no caso os seus bens/ativos, como por exemplo um automóvel, no sentido de facilitar a atribuição do crédito por parte do banco, dado que existe um género de fiança que vai servir como comprovativo de que a pessoa possui recursos para garantir o pagamento desse mesmo crédito. Esta garantia pode ser realizada pelo próprio titular ou por terceiros.

Num crédito pessoal garantido, dado que possui, como o nome indica, uma garantia ou segurança, as taxas de juro serão mais baixas do que se for um crédito pessoal não garantido. No entanto, é necessário ter todo o cuidado, pois se não cumprir o pagamento do crédito conforme o estipulado, pode implicar a perda do bem/ativo que deu como garantia.

No caso de um crédito pessoal ser não garantido, isto significa que não existe uma garantia, o banco apenas se baseia no histórico do seu cliente e nos recursos financeiros do mesmo, para atribuir ou não o empréstimo. Como não existe nenhuma segurança real de que o pagamento do crédito será efetuado, os juros serão maiores comparativamente ao crédito pessoal garantido.

Taxa de juro

As percentagens das taxas de juros são variáveis não só de banco para banco, mas também relativamente ao tipo de crédito pessoal solicitado. Os produtos bancários adquiridos, como por exemplo, seguros, cartões de crédito, podem contribuir para uma diminuição do valor a pagar, ou seja, para conseguir um crédito pessoal em Portugal com taxa baixa.

As taxa de juro cobrada no crédito pessoal pode ser fixa ou variável. Na primeira situação, ou seja, no caso de uma taxa de juro fixa, o montante mensal a pagar é igual em toda a duração do contrato de crédito pessoal, havendo um conhecimento prévio do valor referente aos juros a serem pagos. Na segunda situação, a taxa de juro variável relativa ao montante do crédito pessoal em dívida é revista periodicamente e ajustada de acordo com o mercado.

Possíveis encargos e penalizações no crédito pessoal

No crédito pessoal, existem limites relativamente aos encargos que podem ser praticados pelos bancos, não podendo ultrapassar as taxas máximas definidas. Para além das taxas de juro, há lugar ao pagamento de comissões e de outros encargos. Portanto é necessário proceder a uma análise e comparar créditos pessoais para tomar a sua decisão, tendo em conta todos os encargos associados ao contrato. Os bancos terão de apresentar as taxas inerentes ao crédito pessoal, para ser possível determinar os seus custos, que são as seguintes:

  • TAN (taxa de juro anual nominal)
  • TAEG (taxa anual de encargos efetiva global
  • MTIC (montante total imputado ao consumidor)

Alguns bancos cobram uma taxa quando o montante do empréstimo é pago antecipadamente, ou seja, quando é feita a amortização do valor total. Nestas situações, o banco deixa de receber o valor referente aos juros correspondentes ao período em falta, portanto, esta taxa será para compensar o não recebimento da totalidade dos juros relativamente ao valor do crédito.

O cliente pode amortizar todo ou parte do crédito antes do prazo previsto no contrato. O banco deve ser notificado com antecedência, no caso da liquidação do valor do crédito em dívida, podendo haver lugar ao pagamento de uma comissão de reembolso.

É importante ter e conta os critérios de elegibilidade para a atribuição de crédito pessoal em Portugal. No caso de pedir crédito online ou presencialmente, os bancos têm em conta um conjunto de fatores para analisar a viabilidade do pagamento do crédito pessoal por parte dos clientes, são eles a idade, a situação profissional, as despesas e os rendimentos.

É igualmente importante verificar se existe alguma informação negativa nas bases de dados relativas ao crédito responsável, nomeadamente do banco de Portugal, que seja comprovativa de um comportamento desfavorável no que se refere ao cumprimento do crédito. Neste caso, será improvável a atribuição de um crédito pessoal.

 

Termos comuns utilizados no crédito pessoal

Garantia: trata-se do ativo que o devedor dá como segurança de que o crédito será pago, sob contrapartida de o banco ficar com esse mesmo ativo no caso de incumprimento.

Fiador: é o indivíduo que, no caso de o devedor não pagar o empréstimo atempadamente, se responsabiliza pelo mesmo pagamento. O fiador terá que ter pleno conhecimento do seu papel e concordar com o mesmo, sendo necessário a entrega dos seus documentos e assinatura.

Penalidades por reembolso antecipado: refere-se às taxas que o devedor tem de pagar caso faça o reembolso do valor do crédito pessoal antecipadamente, ou seja, pague o montante do empréstimo antes da data estipulada, havendo neste caso lugar ao pagamento de uma taxa, para compensar o banco pelos juros não recebidos referentes à totalidade da quantia emprestada.

Juros por atraso no pagamento:  quando o cliente não paga o valor da prestação até à data combinada começa a pagar juros. O banco exige o pagamento de juros de mora e outros encargos, devido ao atraso no pagamento.

Período de empréstimo / financiamento:  refere-se ao período de determinado empréstimo, no fim do qual o devedor terá de ter pago todo o montante referente a esse crédito.

Calculadora para simular o melhor crédito pessoal

É possível fazer em praticamente todos os bancos uma simulação de crédito pessoal online. Através da escolha do tipo de crédito pessoal pretendido, é necessário ponderar muito bem qual o montante necessário que deverá solicitar. Depois, é importante comparar créditos pessoais, para que possa verificar quais as taxas de juro do mercado, para poder saber quais os melhores créditos pessoais em Portugal em determinado momento.

Posteriormente, terá que verificar, através da simulação na calculadora online, qual o valor da prestação mensal que terá que pagar, em função do valor pretendido e com base na taxa de juro do banco ao qual irá solicitar o crédito pessoal online, ou numa sucursal. Desta forma é possível experimentar, colocando o número de meses e verificar a quantia mensal a pagar.

Caso considere que pode pagar mais por mês, só terá que diminuir o número de meses, caso contrário, se o valor for elevado, basta aumentar o período de meses. É necessário ponderar muito bem o número de meses e o montante, para não falhar prestações. Tenha em atenção que quanto mais tempo demorar a amortizar a dívida, maiores serão os juros a pagar no crédito pessoal.