Custo das Análises Clínicas - Conheça os preços

Nuno Fatela

As análises clínicas são fundamentais não só para detetar doenças como também para as prevenir, mas muitos portugueses não sabem o custo total das análises que fazemos, pois os valores laboratoriais nunca aparecem no recibo de pagamento. Como acontece com estas idas ao médico, também há apoios dos seguros ou sistemas de saúde que reduzem o custo das análises clínicas para os cidadãos.

Quais os custos das análises clínicas que fazemos? Que margem de lucro tem a clínica/laboratório? Que entidade regula ou tutela os preços praticados pelos laboratórios? Estas são algumas das questões colocadas quando abordamos este assunto.

Qual é o custo total das análises?

O custo médio das análises difere bastante, pois existem pessoas que recorrem a Seguros de Saúde, outras ao SNS, e outras fazem-nas a título particular para poupar dinheiro.

Para as pessoas que têm seguros de saúde os valores das análises dependem do próprio plafond do seguro em si. Ou seja, da apólice de cada segurado. Existem seguros que comparticipam as análises a 100%, mas outros apenas suportam 10% do custo das análises clínicas.

Por isso depende da opção que escolheu. Para as pessoas que fazem as análises através do Serviço Nacional de Saúde existe um valor tabelado fixo para cada análise a nível nacional, e é aplicado em todas as clínicas existentes no país. No entanto, nem todas as análises são comparticipadas pelo SNS.

As análises clínicas são comparticipadas?

Sim, as análises clínicas são comparticipadas pelos sistemas de saúde dos serviços do Estado e também pelos seguros de saúde privados. Pode realizar análises através de entidades como a ADSE, SADE e PSP, em que é paga apenas uma parcela do valor. Estes são os designados "Sistemas de Saúde" e são distintos para diversos serviços do Estado.

Também os seguros de saúde, como a AdvanceCare, Future HealthCare, Medicare ou Muticare têm comparticipação no custo das análises clínicas. Para quem trabalha em empresas privadas esta é uma solução para pagar menos para fazer análises.

Apesar dessa comparticipação, a análise em si é paga na sua totalidade, pois cada entidade paga o valor remanescente ao laboratório.

Quem regula os preços das análises clínicas?

Não existe uma entidade que regula ou tutela os preços das análises clínicas praticados pelos laboratórios. Cada laboratório aplica o preço que pretende, a nível particular, tendo em conta a concorrência e os valores aplicados no mercado.

Quais são as análises clínicas mais comuns?

As análises mais comuns que as pessoas fazem dizem respeito à glicemia, colesterol, bilirrubinas, ou seja, direccionadas a questões de saúde renal, hepática, lípidos, açucares e também hemogramas com plaquetas.

Custos das análise clínicas mais comuns

O custo de cada análises clínicas mais comuns variam entre os 0,30€ e os 14,80€ para exames feitos com comparticipação, e os preços das análises clínicas mais comuns para particulares estão entre os 1,40€ e os 73,84€. Os custos das análises clínicas são específicos para cada exame e os preços finais são muito variáveis.

Análise ao Colesterol total, s/1

Tem um custo real de 1,40€, pois a ADSE paga 1,10€ e o beneficiário 0,30€; Esta análise mede os níveis de colesterol e triglicérideos na corrente sanguínea. Este exame de sangue ajuda a saber o risco de obstrução das artérias por formação de placas de gordura, e por isso é importante na monitorização de doentes cardiacos ou com problemas vasculares.

Insulina

O custo real é de 6,40€, mas a ADSE paga 5,10€ e o beneficiário 1,30€. Este exame mede a quantidade de insulina no sangue, já que a insulina é vital para o transporte e armazenamento da glicose nas células, regula o nível sanguíneo de glicose e controla o metabolismo dos lipídios.

Os níveis de insulina são pedidos com maior frequência após um resultado baixo de glicose e/ou quando alguém tem sintomas agudos ou crónicos de níveis baixos de glicose no sangue (hipoglicemia).

Prova de clomnifene, cada doseamento LH, FSH, estradiol e testosterona

O custo real é de 73,84€, no entanto a ADSE paga 59,04€ e o beneficiário apenas 14,80€; Os exames de estradiol e da testosterona são feitos por meio da análise de uma amostra de sangue, que tem como objetivo verificar as concentrações da hormona estradiol no corpo.

É uma análise muito utilizada para verificar o desenvolvimento e o funcionamento dos ovários nas mulheres, e dos testículos nos homens, especialmente nos casos de infertilidade.

Análise microscópica do sedimento à urina

Tem um custo real de 2,80€, a ADSE paga 2,20€ e o beneficiário 0,60€; O exame de urina pode oferecer informações não apenas sobre os rins e bexiga, mas também sobre o fígado, pâncreas e outros órgãos, já que serve para uma ampla gama de distúrbios. Uma pequena amostra indica a situação em que o organismo se encontra de uma forma generalista.

Onde está o lucro dos laboratórios nas análises clínicas?

O lucro dos laboratórios nas análises clínicas está sobretudo nas análises que são realizadas a título particular, já que são pagas na totalidade, e nas análises feitas através de seguros de saúde.

Apesar de não existir uma grande margem de lucro para os laboratórios na maior parte das análises feitas através do Serviço Nacional de Saúde, existem análises que contrariam essa tendência. Como, por exemplo, a análise ao Ácido fólico (folatos), que tem um custo real de 25,02€ e a taxa moderadora é de 1,10€.

Comparação do custo das análises clínicas em 5 laboratórios diferentes

A Comparamais contactou 5 laboratórios de forma a fazer uma comparação do preço médio de fazer análises clínicas de rotina. Na seguinte tabela, mostramos-lhe agora os preços correspondem a 4 tipos de análises clínicas mais frequentes.

LaboratórioAnálise ao
Colesterol
total
InsulinaProva de
clomnifene, estradiol, testosterona
Sedimenta-ção da
Urina
Germano de Sousa (Norte, Sul)2,10€14,00€38,50€2,50€
Joaquim
Chaves
Saúde
(Lisboa)
4,00€14,00€31,00€7,00€
Labamaro (Lisboa)1,80€12,00€33,00€2,90€
Affidea
(Norte, Sul)
2,10€14,00€38,50€2,10€
Luis
Marinho
(Porto)
1,50€10,00€27,50€1,00€

Esta tabela apenas inclui os custos das análises clínicas efetuadas a nível particular. Ou seja, se tiver um seguro de saúde ou beneficiar com um dos sistemas de saúde do estado, terá de analisar qual a comparticipação que lhe é garantida. Tenha em conta, adicionalmente, que se for fazer análises com a credencial passada pelo seu médico, o Serviço Nacional de Saúde comparticipa metade das suas análises, pelo que o valor final ainda será mais baixo.

Na comparação dos preços, verifica-se que o laboratório Labamaro em Lisboa e o laboratório Luis Marinho no Porto é onde os custos das análises clínicas mais reduzidos. No caso do último laboratório referido, as diferenças no custo chegam aos 150% para as análises à urina, enquanto para hormonas como o estradiol e a testosterona os preços são inferiores em mais de 10€. Ou seja, uma diferença considerável nos custos das análises clínicas.

Pedir Agora Crédito Pessoal

Simular