A história do telemóvel em Portugal e no mundo

A história dos telemóveis
Em abril de 2020 assinalam-se os 48 anos desde que foi realizada a primeira chamada de telemóvel em todo o mundo. Esse momento histórico decorreu em Nova Iorque, no dia 3 de abril de 1973, mas desde então um longo caminho foi percorrido. Em Portugal a história do telemóvel, plena de sucesso (de momento existem perto de dois telemóveis por cada português), começa a desenhar-se nos anos 90, e tem sido marcada por vários momentos históricos. “Entre a bordo da máquina do tempo” e venha saber como é a história do telemóvel…

Quando, em 1877, foi feita a primeira chamada telefónica em Portugal, ligando Carcavelos e Lisboa, ninguém imaginaria que um século e meio depois quase todos os portugueses estariam a telefonar uns aos outros. Ainda para mais com a liberdade de o fazer em qualquer lugar, não apenas falando mas também usando os dispositivos para videochamadas e navegar pela internet com tarifários sem custos adicionais para esses serviços. Mas essa é a maravilha da história do telemóvel, um caso de sucesso que tem vindo a mudar completamente a forma como vemos o mundo…

A história do telemóvel – o seu nascimento

A primeira chamada de um telefone móvel foi registada em Manhattan, Nova Iorque, no dia 3 de abril de 1973. Mas o sonho de poder ligar a outras pessoas já tinha começado muito antes. Ainda nos anos 1920 o cientista Eric Tigerstead (conhecido como o Thomas Edison da Finlândia) patenteou um “telefone de bolso com fino microfone em carbono”. E logo no final da Segunda Guerra Mundial os Laboratórios Bell começam a investigar um serviço para comunicações móveis, pensando na sua utilização a partir dos carros.

Voltando à história da primeira chamada de telemóvel, o autor da proeza foi Martin Cooper, que tinha entrado para a Motorola para trabalhar em rádios portáteis para polícias e chegou depois a Chefe de Pesquisas da Empresa. E quem seria o melhor destinatário para a primeira chamada de telemóvel que Joe Engell, que ocupava o mesmo cargo de Cooper mas nos Laboratórios Bell, rivais da Motorola nesta investigação?

“Joel, estou a falar contigo de um verdadeiro telefone celular, enquanto desço uma rua de Nova Iorque” – Martin Cooper

Numa entrevista, o homem que deu início à história do telemóvel recordou também qual a reacção das pessoas que o viram a fazer uma chamada desde o meio da rua, aproveitando a antena colocada pela empresa no topo de um edifício. Segundo Martin Cooper, todos ficaram boquiabertos quando o viram a fazer a primeira chamada a partir de um telemóvel.

A chegada dos telemóveis ao mercado

Foi, no entanto, preciso esperar até ao final dessa década para se assistir ao início das vendas dos telemóveis. Os japoneses deram o pontapé de saída, em 1979, e o primeiro telemóvel à venda em todo o mundo foi o Dyna-Tac 8000. Aos dias de hoje, este seria considerado um verdadeiro “tijolo”, como pode ver na tabela seguinte com as suas características.

Dyna-Tac 8000Caracterísitcas
Peso+ 1 Kg
Altura25 cm
Largura4 cm
Espessura6 cm
Bateria30 min.
Tempo de Carregamento10 Horas
Preço4.000 Dólares (Estados Unidos)

Durante os primeiros anos as redes eram conhecidas como 1G, totalmente analógicas. E os telemóveis começaram a surgir principalmente nos carros, até pela necessidade de carregamento das suas baterias. Esta questão começou a ser resolvida no início dos anos 90, com o surgimento das baterias de iões de lítio em 1991, permitindo usar os telemóveis com menos restrições. E se nos primeiros anos, entre 1983 e 1998 foi a Motorola a liderar as vendas, a partir desse ano surgiu em primeiro lugar a Nokia. Mas também o gigante sueco acabou por ser superado, e desde 2012 que é a Samsung a líder mundial de vendas de telemóveis.

Dos Dumphones aos Smartphones

Se durante os primeiros anos da ascensão dos telemóveis as suas principais capacidades eram fazer chamadas, enviar SMS e tirar fotos de baixíssima qualidade, tudo isso começou a mudar nos anos 2000. Especialmente a partir de 2007, quando o lançamento do primeiro iPhone, com o sistema operativo iOS, deu protagonismo às capacidades dos telemóveis mais avançados e inteligentes (por isso designados de smartphones). Quando no anos seguinte é lançado o primeiro telefone com sistema Android, da Google, estava dado o mote para a guerra que tem animado o mercado nos últimos anos.

A verdade é que a primeira aproximação entre telefones e computação já vem de longe, e com origem num dos nomes mais famosos da ciência do Século XX. Afinal, em 1909 já Nikola Tesla fazia investigações nesta área. O primeiro protótipo do que se pode considerar uma aproximação aos smartphones surge em 1971, por Theodore Paraskevakos, e o primeiro modelo comercializado é dos anos 90, o IBM Simon. Nessa época começam a ganhar notoriedade os PDA, que já usavam ecrãs táteis e capacidades de software mais alargadas, mas ainda muito longe do que são as principais características dos atuais smartphones.

Algumas capacidades que distinguem os smartphones são:
  • Ecrãs interativos, de alta capacidade como HD e 4K;
  • Hardware de grande capacidade;
  • Sistema operativo para utilizar diversas aplicações. 97% dos dispositivos usa atualmente os sistemas Android (Google) e iOS (Apple) que permitem descarregar dispositivos das lojas Google Play e App Store;
  • Conexão à internet de alta velocidade por via wireless, tanto nas redes físicas (Wi-Fi) como nas redes móveis (Dados Móveis);
  • Grande capacidade de memória, extensível por cartões Micro SD;
  • Câmaras fotográficas de altíssima definição;
  • Sincronização com contas de mail e com os computadores;
  • Capacidade de fazer pagamentos e outras tarefas através dos dispositivos.
Problemas associados ao uso dos smartphones

O crescimento dos smarpthones tem também levantado, no entanto, alguns desafios à sociedade. O mesmo acontece, por exemplo, com os computadores. Um problema partilhado por estes dois dispositivos é a adição dos utilizadores, que se podem alhear de tudo o que os envolve. Associado a esta situação existe outro problema, relacionado com o tráfego automóvel. Em primeiro lugar porque os condutores distraídos a usar os smartphones causam mais acidentes. Em segundo lugar, porque tem sido constante o crescimento das estatísticas de atropelamentos de peões distraídos a usar os seus telemóveis.

Outra questão importante tem sido levantada em torno da segurança. Especialmente porque, com as ligações a redes com baixos níveis de proteção (permitindo aos hackers aceder aos dispostivos) abrem a porta ao roubo de dados importantes. Sabendo-se que muitos usam os smartphones para pagamentos bancários e inserirem dados pessoais em diversas plataformas (e redes sociais), a necessidade de elevar os padrões de segurança dos smartphones tem sido uma preocupação constante.

Por fim, a questão da reciclagem dos smartphones em fim de vida é anda um problema ambiental em diversos países. Nestes dispostivos existem diversos metais pesados, pelo que é necessário seguir procedimentos específicos para os reciclar, de acordo com a diretiva WEEE (Waste Electrical and Electronic Equipment Directive).

A história do telemóvel em Portugal –
Os primeiros anos

No final dos anos 80 existiam cerca de 2000 telemóveis registados em Portugal, num serviço gerido pelos CTT-TLP. Mas o primeiro grande impulso a esta tecnologia é dado em 1991, quando surge a TMN (96, entretanto deu origem à MEO), que ganhou no ano seguinte a companhia da Telecel (91, que depois se transformou na Vodafone), lançada no dia 18 de outubro de 1992.

Em 1993 são dados passos importantes para a afirmação do telemóvel. Em primeiro lugar, porque surge no mercado o Ericsson GH172, apresentado pela Telecel como “o primeiro telefone verdadeiramente portátil”. E também porque nesse ano surge o primeiro telemóvel com preço inferior a 100.000$ (o equivalente a 500€).

Esta publicidade é apresentada como o primeiro anúncio de telemóvel em Portugal
Modelos que marcaram os primeiros anos dos telemóveis em Portugal

Durante a década de 90 os telemóveis ganharam progressivamente peso no mercado, e no ano 2000 mais de 6 milhões de portugueses tinham um destes dispositivos. Era a altura em que lideravam o mercado alguns modelos que ficaram na história. O Nokia 3310 foi, provavelmente, o mais marcante, e custava 26.900$ em 1999. Mas também foram muitos os que fizeram chamadas e SMS com os Siemens C35, Motorola Star Tac, Ericsson T10, Alcatel One Easy Touch e Samsung SGH-5500. Ainda se lembra deles?

Telemóveis antigos que ficaram famosos
O Nokia 3310 é, provavelmente, o mais famoso entre os telemóveis antigos. Mas modelos como o Alcatel One Easy Touch, o Motorola Star Tac, o Ericsson T10 e o Siemens C35 são outros modelos antigos que ficam na história dos telemóveis

Momentos marcantes em Portugal

Há serviços que ficaram para a história durante a fase de implementação dos telemóveis. Por exemplo, as SMS (lançadas no mercado pela Optimus, terceira operadora nacional, que foi fundada em 1998 e deu depois origem à NOS), que permitiam a muitos especialistas em ‘texting’ estar a mandar mensagens sem sequer olhar para o telemóvel. Uma arte que veio tornar obsoletos os pagers e que teve tendência a desaparecer com os touchscreens.

A Vodafone, que veio ocupar a vaga da Telecel, tem responsabilidade em outros momentos marcantes, como o lançamento das MMS e do serviço para ver TV no telemóvel em 2002. Quando aos smartphones, que dominam atualmente o mercado, começam a surgir em 2008 com o iPhone OS 2, para no ano seguinte ser lançado o HTC Magic, o primeiro dispositivo em Portugal com o sistema Android. O ecrã era de 3,2”, tinha já acesso ao GMail e Youtube e oferecia uma câmara de 3,2 MegaPixels.

O Mimo foi o primeiro serviço pré-pago em todo o mundo
Portugal tem de momento quatro operadoras de telemóveis com expressão no mercado: MEO, NOWO, NOS e Vodafone.

Portugal teve também, a nível de mercado, momentos marcantes na história do telemóvel. Um dos mais importantes foi quando, em 1995, a TMN lança o Mimo. Este foi o primeiro serviço de telemóvel pré-pago em todo o mundo, e marcou uma nova visão para a comercialização destes produtos. Esta operadora foi também a terceira a nível europeu a oferecer um serviço de videochamadas, no ano de 2004.

A história do telemóvel é uma narrativa que tem sido escrita a uma velocidade vertiginosa. E bem longe vão os anos em que as pessoas andavam com o telefone pelo ar à procura de “mais uma barrinha de rede”. Para se perceber a velocidade desta evolução basta recordar que em 2017 já existiam 1 milhão de hotspots da NOS em todo o país, e corria o ano de 2018 quando foi ligado pela primeira vez um telemóvel a uma rede 5G.

A história do telemóvel em Portugal –
O momento atual

Para se perceber o impacto dos telemóveis em Portugal basta olhar para as estatísticas do sector em 2019. Começando pelos dados das vendas, que indicam um total de 890 milhões de euros gastos em Portugal na aquisição de 2,5 milhões de smartphones.

O preço médio foi 341€, valor que sobe para os 806€ quando falamos dos dispositivos da Apple, os iPhone. Mas a marca da maça está apenas em terceiro lugar no ranking de vendas nacional, com 12,5% do mercado. À sua frente está a Huawei, com 28,9% de quota, surgindo em primeiro lugar a Samsung, com 31,8% das vendas.

Portugal tem registados quase dois telemóveis por cada pessoa…

Nos dados acumulados, verifica-se um total de 171 telemóveis registados por cada 100 habitantes, embora apenas 120,9 com utilização efetiva. E destes, há 7,5 milhões que são usados para aceder à internet móvel, gastando cada telemóvel, em média, 3,8 GB de dados móveis por mês. Além disso, cada português faz 204 minutos de chamadas e envia 103 SMS por mês.

Relativamente aos operadores, é a MEO que domina o mercado, sendo responsável por 41,9% dos serviços. Em segundo lugar surge a Vodafone, com 30,2% dos assinantes. Depois surge a NOS (25,4%) em terceiro lugar e a NOWO que, apesar de ter somente 1,5% da quota mantém bons índices de crescimento graças aos preços mais baixos do mercado.

Descubra neste artigo os tarifários mais baratos do mercado em Portugal

Para terminar, deixamos-lhe aqui a recordação de alguns anúncios de telemóvel que ficaram para a história em Portugal. Seja pelos slogans (por exemplo, “Mais perto do que é Importante” ou “Onde você estiver, está lá) ou frases marcantes como o “Tou xim, é para mim…”.
“Mais perto do que é importante” é uma frase ligada à história do telemóvel em Portugal
Este é um dos anúncios mais famosos da história do telemóvel em Portugal
José Pedro Gomes foi protagonista de algumas das primeiras publicidades da Telecel. Também o slogan “Onde você estiver está lá” fica na história do telemóvel
“O que nos liga é Optimus” foi outra frase marcante entre as publicidades a telemóveis feitas em Portugal
O “All Together Now” deu também origem a uma série de variações musicais com Duetos Improváveis, como este que juntou Marco Paulo aos Buraka Som Sistema
A Optimus desenvolveu um gosto especial pelas músicas dos Beatles. Depois do “All Together Now” também o “All You Need is Love” serviu de inspiração
O relançamento da Optimus deu origem a uma das maiores campanhas publicitárias em Portugal